Sorocaba possui cerca de 80 start-ups cadastradas em site especializado em negócios de inovação

Start-ups ganham espaço na cidade, devido ao ambiente favorável ao empreendedorismo; Carlos Mello, conferencista do V CEO Fórum, comenta que estas empresas são fundamentais para o desenvolvimento da Região Metropolitana.

A crise é um período fértil para a inovação e o empreendedorismo, quando são necessárias novas soluções para resolver os desafios decorrentes da queda do consumo e das vendas. Em Sorocaba (SP), o campo para inovação está se consolidando, onde já estão instaladas cerca de 80 start-ups, atuantes em diferentes segmentos.
Segundo Carlos Mello, especialista no assunto, engenheiro civil, investidor em start-ups, CEO da 4Legacy e conferencista do V CEO Fórum, maior encontro de líderes empresariais da Região Metropolitana de Sorocaba (RMS), que acontece no próximo dia 27/10, das 8h30 às 15h15, no Shopping Iguatemi Esplanada (Sala de Cinemas Cinépolis e Espaço de Eventos), Sorocaba tem grande potencial para o crescimento do segmento de start-ups que, por sua vez, também é fundamental para o desenvolvimento de toda a região.
O município está ranqueado entre um dos melhores para empreender e inovar, conforme estudo realizado pelo Índice de Cidade Empreendedora – Endeavor (2015). O conceito de start-up é um modelo de negócio inovador, em fase inicial, que busca se monetizar, saber se o produto o serviço será aceito pelo mercado, propondo, também, agilidade e baixo custo de administração, geralmente atuante no segmento tecnológico, como também é o caso da maioria das empresas do gênero em Sorocaba.
“Está nascendo um ecossistema com bastante potencial no município. A crise é um dos motivos que estimula o empreendedorismo. Então, acredito que essas pessoas, neste momento, é que vão ser criadoras de empregos, geradoras de desenvolvimento e impostos, pois elas se engajam para a solução de problemas”, afirma Mello.
O número de start-ups na cidade é resultado de um estudo colaborativo, em que os próprios empresários podem se cadastrar em um site (http://startupsorocaba.com/). Por conta disto, Mello acredita que o saldo pode ser ainda maior. “É pouco e temos um potencial muito grande, boas universidades, formação de mão de obra, contando com uma logística privilegiada para atender a serviços e produtos, além do Parque Tecnológico, que influencia a geração desse tipo de negócio. Estamos apenas no começo desta história de inovação de tecnologia”, destaca o especialista.
No Brasil, estima-se que existam de 4 a 5 mil start-ups. As primeiras surgiram há pelo menos 10 anos, quando também chegou o conceito de inovação e empreendedorismo ao país. Porém, nos Estado Unidos, por exemplo, esse mercado já atua há mais de 20 anos. O desenvolvimento do setor, segundo Mello, aconteceu por conta da mudança de comportamento da sociedade.
“Existem exemplos de que não seria possível implantar alguns anos atrás, sem a mudança de comportamento. Um desses exemplos é o site Airbnb, de compartilhamento de quartos por meio da internet. As pessoas achavam um absurdo receber um estranho em casa, mas a partir da crise do mercado imobiliário americano, quando elas não conseguiam pagar sua hipoteca e precisavam de alternativas de renda, o conceito pôde se desenvolver”, lembra.

 

Empresas tradicionais também precisam de inovação
Como empresas tradicionais também podem aproveitar este momento da economia para crescer e não perder mercado é o foco do V CEO Fórum, uma realização da Interim Management, do Shopping Iguatemi Esplanada, do Iguatemi Business Esplanada e da BKO Construtora e Incorporadora. O apoio é das empresas 4Legacy, Azimut, Cinépolis, ESAMC, Kassai, Planeta Business, Travel e Sorovale.
O evento reúne time seleto de especialistas em diferentes áreas de atuação, abrindo com palestra de Pedro Veras, engenheiro e administrador de empresas, presidente do conselho de condôminos do Shopping Iguatemi São Paulo; seguido por Fábio Trigo, executivo de negócios, marketing, vendas e planejamento estratégico, sócio da GT Consulting, que falará sobre Marketing de Êxito; Luis Rasquilha, CEO da Inova Consulting, da Inova Business School e da R.Wear, professor em universidades e Business Schools na Europa e no Brasil, que discutirá sobre inovação e tendências para 2020; Joe Khzouz; engenheiro civil, fundador e presidente da BKO Incorporadora e Construtora, que comentará sobre empreendedorismo e o próprio Carlos Mello, que explanará sobre o mercado de start-ups no Brasil.
“Temos vários exemplos de mercados que foram resistentes à tecnologia e que, hoje, perdem consumidores, como os antagonistas: TV e Netflix, Uber e taxistas. As indústrias que souberem se aproximar das start-ups terão vantagens competitivas. As que continuarem do mesmo jeito tornar-se- ão obsoletas muito rapidamente”, antevê Mello.

Autor:
Graziele Gomes